Um Pouco De Sentido Àquilo Que Não Tem

 

assin-adilson-junior

 

 

 

(Patos de Minas – MG)

bla-blaLá estava eu, depois de mais uma bela noitada em uma taberna qualquer, em nossa milésima discussão sobre o porquê de eu ter passado mais uma noite oculto na esbornia.

Ela não consegue entender que às vezes eu preciso ter os meus momentos a sós comigo mesmo, que ás vezes eu só quero ficar muito bêbado, dormente e ser carregado por algum funcionário do bar ou pelo taxista até em casa. E ainda por cima, insiste em me questionar e dizer que eu a traio sempre nessas minhas noitadas no bar, mas o que ela não percebe, é que a minha única companhia nesses botecos, são solidão da minha consciência sombria e um copo de bebida qualquer bem forte, e que o meu único objetivo, é sair, mesmo que por poucas horas, desse mundo sujo em que ainda insistimos, dia a dia, em sobreviver.

Ah, ela fala demais… E como fala! Muitas vezes nem consigo entendê-la e sinceramente, ás vezes nem tenho essa vontade. Ela tem o dom de conseguir complicar as coisas mais simples de todas. Não é difícil entender que eu só queira estar em um bar, sozinho, e não em uma boate qualquer muito lotada.

Mas no meio daquela falazada, ela conseguiu tomar a minha atenção por alguns instantes, enquanto ela falava que me amava – isso ficou ecoando em minha cabeça por alguns segundos – eu pude ver lágrimas escorrendo de seus olhos… Estranhamente, a minha única vontade naquela hora era de ter uma caneca grande de café quente em uma das mãos e na outra um cigarro aceso. Isso me pareceu errado, mas eram apenas onze horas da manhã de uma terça-feira qualquer, eu tinha acabado de ir dormir e acordar também. – Lembro-me do Sol nascendo pela janela, quando me deixaram prostrado no sofá da sala. – A culpa é dela de insistir em aparecer aqui em casa tão cedo. Eu nunca estou bem quando me acordam.

Talvez eu devesse ter dado mais atenção ao que ela estava falando, mas ela se vitimiza demais! Fica falando que eu só quero usá-la, que não saiu com ela, que eu só quero fazer sexo com ela. Mas até onde eu sei, eu não faço sexo sozinho com ela, nós fazemos, é mutuo, o prazer é mutuo e não sou só eu que sinto prazer, ela também sente, e muito, e ainda deixa isso bem claro em meu ouvido. E eu também acho que ela não deveria achar tão ruim eu querer fazer sexo só com ela.

Ela não entende que é em minha casa que eu me sinto mais á vontade para estar com eu quem eu gosto e, felizmente ou infelizmente, eu gosto dela e ela sabe disso, mas é cabeça dura demais para aceitar isso de bom grado, sem levantar nenhuma dúvida. Ela precisa ter provas diárias e eu já não sei como fazer isso. Ela sabe que eu não sou romântico, que não falo de sentimentos e que não costumo ser tão carinhoso, mas ela é a minha pessoa, eu a escolhi para ser a minha companheira, isso deveria valer alguma coisa.

Sinceramente, eu não sinto necessidade de ter um caso qualquer ou um novo relacionamento. Gosto dela e estou feliz por ter ela comigo. Relacionamentos são complicados e o seu inicio é chato, cansativo, não dá pra ficar descartando eles assim tão facilmente, por nada significativo, eu não tenho mais paciência para isso, não tenho tempo para perder com vulgaridades e frescuras. Já estou acostumado com ela, gosto do jeito dela, só não gosto quando ela insiste em sempre brigar comigo pelos mesmos motivos.

2 thoughts to “Um Pouco De Sentido Àquilo Que Não Tem”

  1. Nem sempre elas aceitam o modo de ser do companheiro. Esse desabafo foi especial e entre o “To be or not to be, that is the question” de Shakespeare, você ficou com ambos! Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *