Sentença de Morte

 

 

 

 

(Biguaçu – SC)

‘’Hoje eu conheci o meu amor. Estou tão feliz que mal cabe dentro de mim tamanha alegria. Eu me sinto confiante perto dele.

Eu estava me sentindo tão sozinha carente… E de repente ele surge para mim. Ele me fala coisas tão lindas! Às vezes me pergunto se é verdade.

Hoje ele me chamou de rainha e disse que vai me fazer muito feliz. Ontem a gente perdeu horas conversando. Parecíamos duas almas gêmeas. Eu me via em tudo que ele falava. As mesmas dores, as mesmas carências, a vontade de crescer na vida e ter alguém do seu lado que te apóie.

Ele me deseja como mulher, dá para ver no seu olhar tamanho fascínio por mim. O tempo todo ele diz que me ama. E não faz muito tempo que nos conhecemos.

Mas meu coração já batuca de amores por ele. Ele é o homem da minha vida, tenho certeza disso. Este amor é verdadeiro. Eu vejo vida nele. Eu sou realizada.

Parece que dessa vez eu acertei. Sabe, hoje pela manhã, ele me mandou uma música ao telefone, falava de amor… A música que eu mais amo!

Meu único medo é que seja tudo mentira. Ontem a noite teve um episodio estranho, ele engrossou a voz comigo. Eu fiquei sem reação. Não esperava isso. Aí eu disse que era melhor eu ir embora e ele me pediu desculpas. Em seguida nós tivemos uma noite de amor. Eu não estava com muita vontade, mas aconteceu. Eu amo muito ele’’.

Tudo lindo? Eu fui do céu ao inferno!

E foi com a desculpa de que eu amo muito ele que tudo aconteceu. Eu me acovardei por em nome deste amor. Eu não queria perdê-lo.

Claro, o erro não foi meu. Ele me iludiu me encheu de promessas. Ele me fez pensar em casamento. Até então eu não tinha parado para pensar nisso, eu estava focada no trabalho. De repente me imaginei vestida de branco dizendo sim diante de Deus.

Eu fui violada. Ele me usou. Roubou de mim todos os meus snhos. Tudo que eu tinha de mais bonito em mim morreu. Eu me senti uma idiota por acreditar que era possível. Aí me perguntei onde foi que eu errei. Mas a culpa não era minha.

Ele não está mais aqui, mas deixou feridas abertas. Eu morri em outubro de 2018 quando ele fez descaso do meu amor.

Os sinais estavam ali para eu ver e eu não vi. Ou não quis ver. Pois eu queria aquele homem, era tão real…

Ele me deixou feridas abertas, no corpo e na alma. Eu achei que ele ia mudar e fiquei ali aprisionada há ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *