O Comendador de Bronze

        (Presidente Prudente – SP) A estátua de bronze do comendador é ignorada pelos pombos insolentes. Quanta sujeira… Pudera, fica bem no centro da praça, debaixo de um cedro enorme, onde as aves moram. Aves que estavam lá antes de colocarem o homenageado na praça. Os mais antigos contam que o ilustre viveu décadas atrás, sobrenome estrangeiro, discursava sobre família, religião, tudo o que se esperava de alguém naquela posição social, naquela época.

Leia Mais

Aquele Paciente

      (Presidente Prudente – SP) Era uma tarde fria, meados de julho, quando ele chegou aqui. Um paciente como os outros, assustado nos primeiros dias. Não falava, todos pensavam que fosse mudo. Exames, diagnóstico rápido. Assustador. E foi passando o tempo, tratamento longo, o homem foi se soltando, até que resolveu falar. Pelos cantos do hospital, olhava para o nada e ameaçava: – Quando Deus não estiver olhando, eu te mato, desgraçado. Alguém lhe dava atenção, ele continuava… “E quando o Criador voltar seus sagrados olhos para mim, num piscar de olhos, torno a ser o exemplo a ser seguido, com impostos pagos em dia, carteira de vacinação em dia, religião milenar. Ele nunca vai me pegar”.

Leia Mais

TÁXI

Pinio Cesar Giannasi (Um conto em bandeira 2, devido ao avançado da hora)   Madrugada.   Choveu quase a noite toda, e agora que trens e ônibus não circulam, resta-nos recolher os incautos que, sob os mais ridículos argumentos, acenam e se safam de pernoitar no trabalho.   Cuidado com desajustados sociais, noctívagos que vagueiam por aí neste horário, olho clínico para não ser surpreendido. Mas, hoje é quarta-feira, espero que meus habituais clientes já estejam prontos.   Sempre estão.

Leia Mais