Festa de Arromba

Ismar Carpenter Becker (Rio de Janeiro – RJ) Relembrando os anos sessenta da jovem guarda, da contracultura, da juventude transviada, das domingueiras, dos bailes e do rock roll; Por isso resolvi convocar meus amigos da juventude e dar uma festa para relembrar os bons tempos dos anos dourados. Mandei e-mail, telefonei, telegrafei e usei a velha carta convocando a rapaziada para a festa de arromba, e assim foi. Aluguei o salão, limpei os velhos discos, arrumei o som, a bebida (cuba libre), marcou dia, hora e local e esperei com ansiedade chegada da moçada. Como os anos foram passando depressa. E foi chegando gente e mais gente. Quem chegou primeiro foi o Marcelo, cabelos brancos, barrigudo, barba grisalha, no rosto rugas imposta pelo tempo que não espera; mas tudo bem, depois foi a vez do Alfredo chegar tossindo, pigarreando, andando com dificuldade e equilibrando-se numa bengala. Aí pensei: pode ser uma exceção, não se cuidou. […]

Leia Mais