A Hora

 

 

 

 

(Rio de Janeiro – RJ)

Ao abrir   a porta da casa vazia, acusa o golpe do triste silêncio, que estabelece   aquele   traço   do   antes   feliz e da felicidade; que rápido desmorona dentro do momento. Corre  em ato contínuo, para o relógio antigo da sala pregado na parede . Sobe numa cadeira: dá corda, mexe nos ponteiros pra trás, tenta fazer como se o tempo fosse voltar. (mais…)

Leia Mais