Sábado à Tarde. Ou Outro Dia Qualquer

 

 

 

 

 (Braga – Minho – PT)

Perguntas-me se caso contigo. Deitas a pergunta cá para fora com a mesma indiferença com que indagarias se quero comer um gelado, ou ir ao cinema.

Apanhada de surpresa, olho-te sem nada ver – o vazio dentro e fora do meu olhar.

Sim, talvez aceite um gelado, é bom, fresco e doce. Cinema não, não me apetece ficar tanto tempo fechada no escuro olhando uma tela e sentindo o ar refrigerado, sempre um pouco mais frio do que o desejável. (mais…)

Leia Mais