Deslumbramento

        (Rio de Janeiro – RJ) Acordo com uma sensação. Uma palavra na mente. As letras imensas, me fazem tropeçar e por pouco não caio da escada. A palavra não é tão grande assim, há outras na língua portuguesa, como reminiscência, que é maior do que ela. As duas se assemelham por que uma traz as lembranças do passado, daquilo que se viveu com a textura da infância e a outra ainda está presente, caso se deseje. Bem, como eu ia dizendo, esta palavra curta quase me fez cair da escada. Um dissílabo, sonoro e rechonchudo, tem a fisionomia de um dos amigos de Branca de Neve. Pequenino, o Feliz vive de bem com ele mesmo. Esta manhã, de bem comigo mesmo, quase cai da escada. Eu olhava para cima, aérea e distraída, escutava o sibilar dos pássaros e do meu mundo interior. Desci desembestada, pura reminiscência, os cheiros todos, dos tachos, […]

Leia Mais