A Felicidade do Bem-Te-Vi

 

 

 

 

 

(Santo Estevão – BA)

Era uma manhã de primavera, o bem-te-vi acordou todo serelepe, batendo asas, abrindo o bico com ar de felicidade, afinal as flores estavam brotando e não faltariam sementes para se alimentar.

Todos os dias a alegria batia palmas ali no jardim dos versos, e, por isso, outros passarinhos não repararam que o bem-te-vi estava mais belo, cheio de pose com suas penas brilhosas pelo belo banho de orvalho que havia tomado antes que o Sol resolvesse enxugar a cara das plantas…

Era primavera então era dia de festejar, dizia o bem-te-vi todo feliz:

Qual motivo melhor para isso: A natureza acordou toda vestida com suas cores multicoloridas, os chuviscos que respingam ao amanhecer deixa esse cheiro de terra molhada, nada mais nada no mundo é mais lindo que uma manhã de primavera.

O bem-te-vi estava mesmo muito feliz e queria sair para passear vestido a caráter, assim colocou roupas novas, chapéu e botinas pretas, queria ficar bem elegante para que todos notassem a sua formosura.

Num galho do jasmim pousou olhava de um lado, do outro, espichava o pescoço para baixo, para cima, olhava para outros animais que por ali passavam, mas não o notaram e ficou muito chateado…

Xi…. Deve ser isso! Esqueci-me de colocar a gravata, foi voando até em casa parou em frente ao espelho e deu aquele laçarote de seda quadriculada no pescoço.

De volta pousou em outro galho – Sou mesmo radiante, acenava, assobiava, mas ninguém reparava na sua formosura.

Então o bem-te-vi afinou o bico e começou a cantar, pulava de galho em galho até que um pobre de um urubu pousado na cerca olhou admirou q resolveu aplaudir:

Como não sabia cantar aplaudia batendo as suas enormes asas numa falição que chamava a atenção de quem por ali passava.

Logo outros passarinhos pararam de trabalhar na colheita de sementes e olharam para o bem-te-vi que orgulhoso estufava o peito, molhava o bico na última gota de orvalho e cantava alegremente: Bem-te-vi….. Bem-te-vi…

– Porque aquele passarinho está tão feliz? Queria saber os macacos que passeavam pelas árvores.

O bem-te-vi mesmo deu a resposta:

– Eu estou assim todo contente e elegante para saudar a primavera. E continuou, Bem-te-vi…Bem-te-vi.. Bem-te-vi…

Contagiado por aquela alegria todos os outros passarinhos começaram a cantarolar e seguir o bem-te-vi sem mesmo saber até onde o mesmo queria chegar com toda aquela folia.

Enfim chegaram no mais lindo jardim dos versos, ali as flores declamavam poesias, outras dançavam ao sabor da brisa que soprava fraquinha.

Tudo naquele jardim era encantado flores confabulavam, insetos tocavam orquestra enquanto o bem-te-vi todo feliz cantava, dessa vez seguida por milhares de outros passarinhos.

Ali era mesmo o mundo encantado do bem-te-vi, tudo era só alegria, as flores nunca murchavam eram sempre viçosas, cheias de vaidades pois eram flores de versos entoados pela felicidade que queriam encantar ouvintes e leitores que acompanhavam na orquestra dessa vez ocupada pelos passarinhos.

E feliz o passarinho seguia.. Bem-te-vi… Bem-te-vi…Bem-te-vi…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *